blog

MUSCULAÇÃO X RIGIDEZ MUSCULAR

admin
Musculação X Rigidez Muscular

28 de julho de 2015

Será que a prática da musculação te deixa mais encurtado, com músculos rígidos? Parece que sim! mas muita calma ok, vamos ver o que a Phd Shirley Sahrmann, uma das maiores autoridades em disfunções de movimento, tem a dizer sobre o assunto.

Rigidez é a mudança de tensão do tecido, podendo causar alteração em seu comprimento, e consequentemente uma disfunção dos movimentos.

Ao examinarmos os movimentos passivos de uma articulação, vemos que todos os tecidos que a atravessam contribuem para a resistência, isto é, para a rigidez articular. Falamos também em rigidez da articulação quando a amplitude dos movimentos está restrita. Em seu livro, Shirley não considera a limitação de mobilidade como um problema de rigidez.

Neste texto, a rigidez a que a autora se refere a resistência que se opõe ao alongamento passivo dos músculos e dos tecidos conjuntivos e não a rigidez durante a contração muscular ativa ou nos limites da amplitude dos movimentos. A rigidez discutida é aquela verificada durante o exame do comprimento do músculo.
A rigidez é uma característica do tecido muscular; os músculos possuem propriedades semelhante as molas.Os componentes do músculo que contribuem para sua resistência ao alongamento são as estruturas elásticas em série, extra e intracelulares.

Os dados sugerem que O PRINCIPAL FATOR RESPONSÁVEL PELA RESISTÊNCIA INTRACELULAR AO ALONGAMENTO PASSIVO É A TITINA, uma grande molécula proteica do tecido conjuntivo.
As conexões frouxas que existem entre as pontes cruzadas dos filamentos de miosina contribuem em menor escala para a resistência intracelular. Cada filamento de miosina contém seis moléculas de titina.
Por conseguinte, o aumento quantitativo dos filamentos de miosina deve influenciar a rigidez do músculo, em virtude concomitante do aumento das moléculas de titina.

Sabemos que a hipertrofia muscular AUMENTA A QUANTIDADE DE TANTO DE PROTEÍNAS CONTRÁTEIS COMO DE PROTEÍNAS DO TECIDO CONJUNTIVO. O aumento dessas proteínas indica aumento simultâneo da rigidez muscular!!!!, visto que aumentam tanto as proteínas do tecido conjuntivo (titina, por exemplo), como as proteínas dos elementos contráteis.

Chleboun e colaboradores puderam demonstrar que o tamanho da área seccional transversa do músculo mantém a relação com a rigidez muscular EM TODA A AMPLITUDE DE SEUS MOVIMENTOS DURANTE O ALONGAMENTO, E NÃO APENAS NOS LIMITES EXTREMOS DE MOBILIDADE. Por outro lado, a atrofia ou a perda de elementos contráteis diminui a rigidez dentro da gama de amplitude.

A variação em relação a rigidez de músculos e articulações pode ser um fator que contribui para O APARECIMENTO DE MOVIMENTOS COMPENSATÓRIOS EM ARTICULAÇÕES E DAS SÍNDROMES DE DOR MUSCULAR!!!.
Parece simples entender de que o trabalho de musculação deve ser acompanhado de um trabalho de alongamento bem orientado.

A maioria das pessoas trabalha em posições que já promovem o encurtamento muscular (sentadas), só este fato já causa disfunções musculares, ou seja, músculos ficam mais encurtados e enfraquecidos que seus parceiros antagônicos; por isso, a musculação sempre será bem vinda para trazer fortalecimento e harmonia corporal, mas não se pode esquecer de planejar treinos p/ alongar a musculatura, pois caso contrário, podemos causar mais disfunção num corpo já em desequilíbrio!

Abraços
Ruy
Shirley Sahrmann ( Síndrome da disfunção dos Movimentos)