blog

CONSUMO DE PROTEÍNA E EMAGRECIMENTO

admin
Consumo de Proteína e Emagrecimento

28 de julho de 2015

Textos de Nutrição que postarei aqui serão da parceria c/ a Genes Consultoria em Nutrição. sempre c/ embasamento científico e c/ novidades p/ todos nós. vale sempre a leitura.

CONSUMO DE PROTEÍNA E EMAGRECIMENTO

Na hora de buscar um processo de emagrecimento saudável e duradouro, a alimentação como um todo deve ser bem pensada. Apenas pensar em reduzir calorias não é uma boa estratégia para conseguir esse objetivo. A quantidade e distribuição de macronutrientes, micronutrientes e de compostos bioativos é muito mais importante do que as calorias. Para exemplificar isso, falaremos de como mudanças na quantidade de proteína ingerida pode modificar, para melhor, o emagrecimento.

PERDA DE PESO x EMAGRECIMENTO

O emagrecimento é caracterizado pela perda de gordura, ou seja, apenas quando há redução de massa gorda podemos dizer que você emagreceu. A perda de peso não é um bom parâmetro para verificar se o plano alimentar está funcionando, pois não há como contabilizar quanto da diminuição nos números da balança veio da redução de água, massa muscular ou gordura.

INGESTÃO PROTEICA

O consumo diário de proteína recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) é de 0,8 g de proteína/kg de peso corporal. Boas evidências têm surgido no meio científico mostrando que aumentar a ingestão proteica para valores próximos a 1,6 g de proteína/kg de peso corporal pode proporcionar um melhor emagrecimento quando comparado à recomendação atual da OMS. Um estudo de 2013 comparou três dietas hipocalóricas, contendo quantidades diferentes de proteína (0,8 ou 1,6 ou 2,4 g de proteína/kg de peso), durante 21 dias. A perda de peso foi igual para todos os grupos (- 3,2 kg), no entanto, a mudança na composição corporal foi diferente. No grupo com menor conteúdo de proteína na dieta, 58% do peso perdido foi de massa magra e 42% de gordura, enquanto nos outros dois as reduções foram de 30% e 70%, respectivamente.

Desse modo, os estudos têm mostrado que aumentar o consumo de proteína, em situações de restrição energética, é benéfico para a conservação da massa muscular e promover o melhor emagrecimento. Esses resultados são viáveis desde que os indivíduos tenham boa adesão ao plano alimentar.

COMO FAZER?

A dieta do brasileiro já tende a ser hiperproteica, por isso, pode não haver necessidade de que os níveis desse macronutriente sejam aumentados. O que provavelmente deve ser feito é uma melhor distribuição da quantidade total de proteína ingerida. Assim, tente fazer combinações alimentares de modo a sempre incluir alimentos proteicos em cada uma das refeições (ovo, carne, leite integral, iogurte natural integral, queijo).

CONCLUSÃO

Há boas evidências de que o consumo aumentado (1,6 g de proteína/kg de peso corporal) de proteína pode ser benéfico para proporcionar um melhor emagrecimento. No entanto, apenas pensar em aumentar a quantidade de proteína não é suficiente para proporcionar um processo de emagrecimento saudável e duradouro, deve-se pensar em muitas outras variáveis. Consulte um nutricionista GENES.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23739654