Condicionamento

As 10 principais dicas para aproveitar melhor a corrida

admin
post-blog-corrida

29 de agosto de 2014

Não é novidade que a corrida de rua traz diversos benefícios para quem a pratica, e não faltam motivos para amar esse esporte. Ainda assim, alguns cuidados por parte do corredor podem tornar a prática mais proveitosa. Aqui no blog sempre postamos diversas dicas que permitem que o atleta tire melhor proveito da atividade. Para simplificar as coisas, resolvemos reunir e resumir as dez mais importantes.

1. Tenha exames médicos em dia – Quem está começando na corrida de rua precisa, antes de sair correndo por aí, consultar um cardiologista e um ortopedista, profissionais que farão a avaliação do sistema cardiovascular e do aparelho locomotor do novo atleta. E mesmo os mais experientes não estão livres de problemas de saúde como hipertensão ou diabetes. Logo, de tempos em tempos vale visitar o médico e fazer alguns exames para não ser pego de surpresa. É preciso verificar a pressão sanguínea, o colesterol e o hormônio tireoestimulante, além do nível de açúcar e ferro no sangue.

2. Invista em tênis de qualidade – Talvez um dos pontos mais importantes antes de começar a corrida de rua seja a escolha dos tênis apropriados para a prática esportiva. A primeira preocupação deve ser com o conforto e a segurança. O amortecimento, direcionado ao tipo de pisada de cada corredor, protege e auxilia no tratamento de lesões causadas pelo movimento repetitivo. E existem modelos específicos para diversos tipos de pisadas e para diferentes terrenos.

3. Não subestime o aquecimento – Ao iniciar um exercício físico, o organismo humano sofre alterações em seu funcionamento, visando adaptar o coração, os pulmões, os músculos e a circulação para a atividade. Esse processo é fundamental para a realização de qualquer tipo de atividade física. Por isso é preciso que o início das atividades seja menos intenso, uma vez que nessa fase de ajustes qualquer movimento mais brusco pode gerar lesões. O processo de aquecimento, responsável por aumentar a temperatura muscular, existe exatamente para que o atleta se prepare para a corrida de rua, evitando complicações.

4. Hidrate-se – A desidratação diminui o volume sanguíneo, o que, por sua vez, reduz a capacidade do organismo de transmitir calor e acaba forçando o coração a bater mais rapidamente. Sendo assim, o corpo tem mais dificuldade para responder ao esforço e o rendimento na corrida cai. Para ajudar a manter o corpo hidratado, beber de 250 ml a 500 ml de líquido (1 a 2 copos) uma ou duas horas antes da corrida de rua pode fazer a diferença.

5. Escolha bem o local – Enquanto a grama atenua a pressão que o pé sofre durante a corrida, o que diminui o risco de lesões, o asfalto e outros pisos mais duros dissipam menos energia e permitem aproveitar melhor as capacidades elásticas do músculo para otimizar a passada. Dessa forma, como cada tipo de terreno apresenta suas próprias vantagens e desvantagens, o melhor é variar o lugar da prática da corrida de rua de tempos em tempos. Além de ajudar a evitar lesões, essa atitude pode aumentar a qualidade e a intensidade de seus treinos.

6. Escolha o melhor horário para você – Cada corredor tem seu momento preferido para correr, e isso é uma escolha bastante pessoal. Mas períodos do dia com temperatura mais amena e menos movimento (pela manhã bem cedo ou tarde da noite) costumam ser os que fazem maior sucesso entre os praticantes da corrida de rua. O calor excessivo acaba limitando o treinamento, e o trânsito intenso, além de aumentar o risco de acidentes, atenua o problema da poluição.

7. Esteja atento à postura – Cada corredor tem seu estilo e não há uma maneira exata de praticar a corrida de rua. Nesse contexto, a postura é quase uma marca pessoal, algo muito particular. Porém, ainda que não existam regras, alguns cuidados com a postura podem ser aplicados para conseguir melhoras no desempenho e, principalmente, evitar dores e lesões. Braços contraídos juntos ao corpo, retenção e projeção dos ombros, mãos fechadas e muito apertadas, cabeça inclinada e passadas incompletas ou impactantes demais são alguns dos vícios de movimento mais comuns e que devem ser evitados.

8. Respire direito – Corredores de longa distância precisam respirar bem. A captação e distribuição do oxigênio pelo corpo são o que mantêm o atleta indo em frente. Para tal, é preciso encontrar a sua maneira mais natural de respirar e coordená-la com o ritmo da atividade. Para evitar o problema da oscilação no ritmo, tomar por base as passadas e tentar respirar na mesma cadência costuma funcionar. O tipo de respiração mais básica para a corrida de rua é inspirar pela boca e soltar pelo nariz, mas essa não é uma regra.

9. Corra com amigos – Estudos já comprovaram que atletas apresentam melhor desempenho em grupo do que sozinhos. Na corrida de rua não é diferente. Isso acontece porque quando outras pessoas estão correndo com você, ou assistindo à sua corrida, a concentração tende a aumentar e a distração com a dor diminui. Para os iniciantes, ter parceiros ajuda a se comprometer com uma corrida às 5 da manhã, por exemplo. Para os atletas de níveis mais avançados, pode representar o estímulo para aumentar a quilometragem e ganhar velocidade. Na hora de escolher com quem correr, o ritmo é ainda mais importante que a afinidade. Sentindo-se rápido ou lento demais para o grupo, o corredor ficará frustrado.

10. Descanse – Quando se deixa de descansar, correndo dia após dia sem uma pausa eventual, o corpo deixa de se recuperar do desgaste que sofreu nos treinos e nas provas. Com isso, não só para de evoluir como pode regredir. É o chamado “overtraining”, uma sobrecarga de treino que debilita o corredor ao invés de colaborar para a melhora de suas marcas. Por isso é importante, de vez em quando, recusar uma corrida, tirar um dia para descansar dos treinos e deixar o corpo se recuperar.
Fonte – Corredor Trainer

Tags: